Empresárias, líderes, mães, esposas, filhas; mulheres que se desdobram em mil facetas para darem conta do dia a dia às vezes deixam de lado o seu próprio bem-estar. O aumento do estresse e a exposição a agentes infecciosos estão entre as principais causas das situações enfrentadas por elas que podem impactar negativamente a saúde.

Ao cuidar da própria saúde, a mulher evita passar infecções para os filhos, marido e pais idosos, pois normalmente ela é quem cuida, alimenta e passa a maior parte do tempo com cada um deles.

Pensando nisso, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) lança um alerta sobre a importância do Calendário de Vacinação da Mulher. A publicação será distribuída a 12 mil ginecologistas e obstetras de todo o país.

As vacinas devem ser aplicadas dependendo da situação de cada paciente. Por exemplo, mulheres jovens que vão iniciar a atividade sexual não podem abrir mim da proteção contra o HPV e a hepatite B, como orienta a presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (Sgorj) Vera Fonseca.

Outro caso são as mulheres que têm o desejo de engravidar. O descuido de não estar com a vacinação em dia põe em risco a saúde do bebê e a vida da mãe. Segundo Isabella Ballalai, diretora da SBIm, a rubéola pode provocar aborto ou sequelas no feto, como perda de visão ou da audição. Já o bebê infectado por hepatite B durante o nascimento tem 90% de chance de desenvolver a forma crônica da doença. Outras doenças como varicela (catapora), tétano e influenza também podem afetar negativamente o futuro filho.

A vacinação possibilita a redução de doenças e óbitos, por isso é tão importante.

No Consenso de Vacinação da Mulher, estão todas as vacinas indicadas pela SBIM, pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), além da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, do Centre for Disease Control and Prevention (CDC) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Veja abaixo o Calendário de Vacinação da Mulher (clique para ampliar). Fale com um ginecologista ou obstetra sobre a prevenção de doenças infectocontagiosas imunopreveníveis. Cuide sempre da sua saúde!

Imagem: SBIm

 

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...