O Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente mais conhecido como derrame, atinge 250 mil pessoas no Brasil todos os anos, praticamente uma a cada dois minutos.

Mais da metade, cerca de 130 mil, morre em consequência da doença e os sobreviventes passam a conviver com diferentes graus de sequelas, nas funções motora, sensitiva, mental, perceptiva e da linguagem.

Portanto, é sempre importante lembrar que a prevenção é, de fato, o melhor caminho, principalmente porque amanhã (dia 29 de outubro) é o Dia Mundial de Combate ao AVC.

Para o presidente do Departamento de Hipertensão da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcus Vinicius Bolivar Malachias, o AVC pode ser tratado, mas poucos se beneficiam por procurarem assistência médica tardiamente ou pela falta de recursos em unidades de saúde.

“Em 80% dos casos, nas primeiras quatro horas, existe a possibilidade de se remover o coágulo e restabelecer o fluxo sanguíneo cerebral. Isso pode ser feito por meio de cateteres que retiram mecanicamente o trombo ou através de medicamentos que o dissolvem”, explica o presidente.

Por ano, somente no Sistema Único de Saúde (SUS), ocorrem 200 mil internações por AVC, um gasto aproximado de R$ 270 milhões aos cofres públicos, sem contar nas perdas de vidas, um valor incalculável.

Fique atento aos sintomas

É preciso ficar atento se aparecer sinais como: uma dor de cabeça forte e sem causa aparente, súbita perda da sensibilidade no rosto, dificuldade para falar, dormência no braço e até a completa paralisia em um dos lados do corpo, segundo Malachias.

Os principais fatores de risco para o derrame são a hipertensão, o tabagismo, diabetes e colesterol elevado.

O rápido atendimento nesse caso é essencial. Pois o socorro tardio é a maior causa de incapacitação da população na faixa etária superior a 50 anos, sendo responsável por 10% do total de óbitos e 40% das aposentadorias precoces no Brasil.

“Precisamos informar a população sobre os sintomas e mais ainda a importância de controlar a hipertensão, já que 60% dos AVCs são provocados pela pressão alta não tratada”, afirma o cardiologista.

Hipertensão

O que as pessoas, muitas vezes, podem não saber é que um hipertenso não controlado tem sete vezes mais risco de sofrer um AVC que aquele que mantém a pressão em “12 por 8”. Ou seja, é um dos principais fatores para o derrame.

Então, neste Dia Mundial de Combate ao AVC, a SBC intensificará a campanha “Eu sou 12 por 8” para lembrar a população da importância da prevenção.

No Brasil há 40 milhões de portadores de hipertensão, cerca de 30% da população adulta. “Menos de 20% deles estão sob controle, ou seja, cerca de 32 milhões de brasileiros não fazem o tratamento adequado da hipertensão e estão continuamente em risco de sofrer um AVC, entre outras complicações cardiovasculares, como infartos, angina e insuficiência cardíaca” alerta Malachias.

Em Fortaleza, no Ceará, o VIII Congresso Departamento de Hipertensão Arterial da SBC reune os médicos e profissionais de saúde do Brasil inteiro entre os dias 27 e 29 de outubro. Eles irão debater os novos tratamentos, as mais recentes descobertas científicas e as questões relacionadas à prevenção.

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Uma pessoa é atingida pelo AVC a cada dois minutos”

Comente

Deixe aqui sua opinião...