O projeto “Este Jovem Brasileiro”, desenvolvido pelo Portal Educacional, busca entender o comportamento dos adolescentes e está na 7° edição, desta vez com o tema Corpo e Mente.

Entre os jovens entrevistados, 65% têm seu IMC (índice de massa corporal) normal, quase 25% têm o peso abaixo do ideal para sua altura, 8% têm sobrepeso e 2% são obesos. Emoções, hábitos alimentares inadequados, sedentarismo e questões familiares podem influenciar o IMC.

Índices mais altos do que a média foram encontrados entre os jovens que têm relação péssima em casa, que ficam tristes ou desanimados sempre, não estão satisfeitos com seu corpo, fazem apenas duas refeições diárias, comem sempre na frente da TV ou do computador.

Estes também raramente fazem atividade física, ficam mais de 8 horas por dia diante da TV ou computador, passam os finais de semana em casa,  consideram ruim sua alimentação, se veem como sedentários ou muito preguiçosos, e têm pai ou mãe com problema de obesidade.

Alimentação

Mais da metade dos jovens afirma fazer cinco refeições por dia (café, lanche, almoço, lanche, jantar), o que é considerado o mais saudável pelos especialistas.

Porém mais de 20% sempre fazem suas refeições na frente da TV ou do computador, o que está longe de ser o ideal, e um quarto deles come saladas ou legumes apenas uma ou duas vezes por semana, enquanto 15% não comem esse tipo de alimentos nunca.

Sinais de descontrole em uma parcela: Ataques à geladeira ou ao armário de alimentos foram citados como comuns por 12% dos entrevistados, e cerca de 7% disseram que sentem culpa depois de se alimentar, levando-os a provocar vômito ou uso de laxantes na tentativa de aliviar essa sensação – o que pode ser um alerta para problemas mais sérios.

Atividade Física

A motivação principal para se praticar atividade física é o lazer, mas os garotos admitem que desejem ficar mais fortes, as meninas querem entrar em forma e emagrecer.

Do universo pesquisado, 71% dizem praticar atividade todos os dias ou quase todos os dias. Outros 29% fazem pouca ou não fazem nenhuma atividade com frequência. Já em relação a um esporte definido, 42% não praticam nada regularmente.

Trancado em casa?

Segundo a pesquisa, 29% dos jovens passam pelo menos 5 horas por dia diante de um computador e 10% ficam mais de 4 horas diárias assistindo TV; nos finais de semana, quase 14% ficam “internados” em casa e outros 30% ficam a maior parte do tempo em casa, saindo de vez quando.

Garotos ficam sem referência depois que deixam de ser acompanhados pelo pediatra

Quase 88% dos jovens entrevistados declararam que a saúde é uma preocupação, mas 43% não costumam ir ao médico para controles. Enquanto as garotas, em teoria, devem ir ao ginecologista uma vez ao ano, os garotos ficam sem uma referência depois que deixam de ser acompanhados pelo pediatra.

Quase 15% acham que sua saúde hoje está apenas regular ou não está boa, mais de 30% acham que estão com peso um pouco acima ou muito acima do normal, e, no outro extremo, 14% acham que seu peso está um pouco abaixo ou muito abaixo do desejável, sendo que 2% dizem que estão muito abaixo.

Pais influenciam os filhos

Além da genética, o comportamento dos pais obesos parece influenciar na relação do jovem com seu corpo, sua saúde e seu padrão de alimentação. Em relação a ter pai e mãe com obesidade, a resposta foi positiva com mais frequência entre os jovens que sempre vão a lanchonetes e redes de fast food, quase nunca fazem atividade física, avaliam sua alimentação como ruim, comem fritura, alimentos gordurosos, sanduíche e salgadinhos industrializados todos os dias e não comem frutas. Ter pai e mãe fumantes aparece com maior frequência nos grupos de estudantes que fumam e bebem quase todos os dias.

“A pesquisa revela que a maior parte dos entrevistados tem uma atitude bastante positiva em relação aos cuidados com a alimentação, com a atividade física, com a saúde física e a emocional”, diz Jairo Bouer, médico psiquiatra e coordenador da pesquisa.

  • 65% dos entrevistados têm IMC normal; quase 25% têm o peso abaixo do esperado para a altura; 8% têm sobrepeso e 2% são obesos.
  • Mais da metade faz cinco refeições diárias; 47% comem carne vermelha todos os dias ou de 5 a 6 vezes por semana e só 12% ingerem carne branca uma ou duas vezes por semana.
  • 41% comem doces e 28% tomam refrigerantes todos os dias; 25% dizem nunca comer sanduíches.
  • 71% dizem fazer atividade física todos os dias.
  • 29% passam pelo menos 5 horas no computador e 10% ficam mais de 4 horas diárias diante da TV.
  • Quase 88% afirmaram que a saúde é uma preocupação, mas 43% não constumam ir ao médico para controle.
  • 15% acham que sua saúde hoje está apenas regular ou não está boa.

Quase 8,5 mil alunos da 7ª série ao Ensino Médio (13 a 17 anos) de 82 escolas da rede particular de ensino de todo o País responderam anonimamente a um questionário online sobre questões relacionadas à saúde, como alimentação, atividade física, relação com o corpo e emoções. O projeto “Este Jovem Brasileiro” é realizado anualmente pelo Portal Educacional.

COMENTÁRIOS:

Comentários

4 Respostas para ““Este Jovem Brasileiro” avalia a relação do adolescente com a saúde”
  1. remedio disse:

    Os pais precisam ser vigilantes, pois na adolescência os jovens não se preocupam com a saúde. São ansiosos e imediatistas, querem se divertir a qualquer custo, e para isso não se alimentam de forma adequada; pulam refeições ou se enchem de fast foods gordurosos e nada nutritivos.

    Além da prática de esportes, os jovens ( assim como adultos) precisam se alimentar no mínimo 5 vezes por dia. Os bons hábitos servem para a prevenção de doenças que podem surgir no futuro

  2. Marcia disse:

    Não é o jovem que se alimenta mal, as FAMILIAS como um todo estão se alimentando cada vez pior! Reparem que ninguem mais quer cozinhar, todos dizem que não tem tempo e recorrem a congelados cheios de conservantes, etc, q so fazem mal! É importante que alguem cozinhe, prepare alimentos frescos, e diversificados para uma dieta mais completa de vitaminas e proteinas, alem dos carboidratos. As nutricionistas sempre alertam que os pratos devem ser COLORIDOS, isso não se consegue com arroz e batatas, que é uma unanimidade nos pratos adolescentes. Enfim, creio que TODOS devem rever a forma como se alimentam, começando pelo que COMPRAM / ESCOLHEM nos supermercados e pelo tempo que dedicam a atividade de cozinhar. E nada impede que a FAMILIA junta, vá para a cozinha, afinal não deve ser tarefa só de uma pessoa, enquanto os demais ficam no videogame ou na frente do noticiario da TV.

Comente

Deixe aqui sua opinião...