Saber quais as quantidades de cálcio e vitamina D que devem ser ingeridos durante a infância, juventude e idade adulta para ajudar na prevenção da osteoporose ainda é um fator desconhecido para a maior parte da população.

O resultado: a osteoporose, doença tão silenciosa quanto a pressão alta, crônica e incapacitante, já atinge 10 milhões de pessoas no País.

A recomendação é de pelo menos 1.000 miligramas de cálcio diárias. Mas dificilmente a população em geral e, em especial, as mulheres, as mais atingidas pelo problema, conseguem consumir os níveis indicados da substância.

Densitometria Óssea, o que é isso?

Para o diagnóstico da osteoporose, o exame indicado é a densitometria óssea, que avalia a densidade mineral do osso e o grau de osteopenia e osteoporose; e indica a probabilidade de fraturas.

O termo osteopenia significa que a densidade mineral óssea (DMO) está abaixo do esperado para um adulto jovem, de 20 a 39 anos, do mesmo sexo e etnia. Com o avançar da idade ou a presença de fatores de risco, como a menopausa e o tabagismo, a pessoa terá mais chance de desenvolver osteoporose.

O resultado do exame possibilita a obtenção da curva de perda óssea através do tempo, quando a avaliação é feita periodicamente. Trata-se de um procedimento rápido, indolor e leva de dois a quatro minutos para ser realizado. A densidade óssea é habitualmente medida no quadril e coluna.

A radiologia, tomografia computadorizada e marcadores biológicos do metabolismo ósseo são outros métodos de avaliação óssea. Após o exame, as atividades podem ser retomadas normalmente.

Quem deve fazer o exame?

•    Mulheres na fase da menopausa devem realizar, no mínimo, a cada ano ou dois anos;
•    Mulheres por volta dos 35 a 40 anos e que apresentam alguns dos fatores de risco;
•    Mulheres que fazem reposição com hormônios estrógenos;
•    Pessoas que usam hormônios tireoidianos, corticosteróides, e medicamentos anticonvulsivantes;
•    Mulheres com 65 anos ou mais;
•    Homens a partir dos 70 anos;
•    Pessoas com mais de 50 anos e com histórico de fraturas;
•    Nas crianças, o exame é indicado quando há necessidade de acompanhamento do desenvolvimento ósseo, em doenças osteometabólicas e, ocasionalmente, em regimes dietéticos para emagrecimento.

Que preparo é necessário?

•    As grávidas precisam informar o médico do estado gestacional;
•    Evitar o consumo, horas antes do exame, de alimentos e bebidas que contenham cálcio;
•    Evitar o uso de medicamentos que contenham cálcio, 24 horas antes do exame;
•    O paciente não deverá ter se submetido a exame de Medicina Nuclear previamente (72 horas) ;
•    O paciente não deverá ter realizado exame radiológico com uso de contraste. É preciso aguardar pelo menos 5 dias;
•    No dia do teste, o paciente deverá comparecer com roupa sem metais (zíper, botões, broches etc).

A Campanha “Seja Firme e Forte” convida a população a entender os riscos de uma dieta sem cálcio e vitamina D ou de uma vida sedentária. Hoje é o Dia Mundial de Combate à Osteoporose, ideal para conscientizar o maior número de pessoas.

Saiba mais:
- 9 em cada 10 brasileiras não consomem a quantidade de cálcio recomendada para manter a saúde dos ossos

COMENTÁRIOS:

Comentários

2 Respostas para “Osteoporose já atinge 10 milhões de pessoas no Brasil”
  1. Infelizmente somos imediatistas. Considero-me um cara muito desleixado com essas questões de saúde. Um dia desses li uma matéria que me deixou pensando, imagine se eu tiver osteoporose quando estiver mais velho, o que farei? Mas por que tenho que estar velho e doente para pensar nisso?
    No caso da osteoporose se tivermos cuidado desde novos podemos evitar a doença de forma simples. Praticando exercícios, uma boa alimentação, são só pequenos exemplos. Segue a matéria: http://www.tommasi.com.br/tommasi-saude-leitura/n
    A questão é se prevenir, não só em relação a osteoporose, mas qualquer doença. Fazer exames periódicos, também é importante.
    Um abraço a todos!

  2. Ivson Galvão disse:

    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS): cerca de 15 milhões de brasileiros têm osteoporose.
    Um abraço, Ivson Galvão

Comente

Deixe aqui sua opinião...