Perguntas como “segurar a urina dá câncer?”, “jovens não fazem parte do grupo de risco para câncer?”, “o ato de fumar não está relacionado ao desenvolvimento de câncer, com exceção ao de pulmão?”, são exemplos de questionamentos comuns entre os homens.

De todos os tumores malignos que atingem o homem, 23% são urológicos, especialidade que inclui os cuidados com o rim, bexiga, próstata, uretra e pênis.

E nos órgãos presentes tanto nos homens quanto nas mulheres, o sexo masculino apresenta uma incidência de duas a três vezes maior de câncer, quando comparado com o público feminino. E um dos principais fatores que contribui para este quadro é a desinformação.

Um levantamento realizado pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, apontou os principais questionamentos e mitos populares entre os homens sobre a incidência e o diagnóstico destas doenças.

Chegou a hora de mudar

De acordo com o urologista do ICESP, Marcos Dall’Oglio, “(…) somente a boa informação ajudará a reduzir o número de pacientes que chegam tardiamente ao consultório em busca de tratamento”, alerta.

Veja alguns mitos populares quando o assunto é o câncer urológico:

- Masturbação pode causar câncer. Não há relação entre esta prática e o desenvolvimento de tumores urológicos.

- Segurar a urina dá câncer. Não há qualquer estudo científico que associe o fato de segurar a urina com o desenvolvimento de câncer ou com a instalação de qualquer outra doença.

- Toda cirurgia para tratamento de câncer de próstata provoca impotência. Não. Um dos tipos de cirurgias, que prevê a retirada total da próstata (prostatectomia radical) pode provocar a impotência. O risco de que isso aconteça é de 30% e depende muito de fatores como idade, função sexual pré-operatória e gravidade do tumor. Além disso, vale ressaltar que o crescimento benigno da próstata não provoca impotência.

- Não há relação entre o ato de fumar e o desenvolvimento de tumores urológicos. Há sim: 70% dos casos de câncer de bexiga ocorrem em pacientes fumantes.

- Falta de higiene não está relacionada ao câncer. A maioria dos tumores no pênis surge em decorrência da falta de higiene no órgão genital.

- Homens jovens não estão sujeitos ao desenvolvimento de câncer. A maioria dos tumores é mais rara no público jovem, mas o câncer de testículo acomete principalmente os indivíduos que têm entre 15 e 35 anos.

- Só devo me preocupar depois que surgirem sintomas. A maioria dos tumores cresce de maneira silenciosa. Por isso, o cuidado rotineiro com a saúde é muito importante. Metade dos casos de câncer de rim em tratamento no ICESP foi detectada incidentalmente, durante a realização de exames de rotina e quando não apresentavam qualquer sintoma.

1 em cada 6 homens afirma ter vergonha de ir ao médico

Levantamento do Centro de Referência da Saúde do Homem, órgão ligado ao Hospital de Transplantes, da Secretaria de Estado da Saúde, revela que para fugir das primeiras consultas, a maioria dos usuários utiliza como desculpa a falta de tempo livre e a necessidade de trabalhar para manter a família.

O diagnóstico tardio traz ao hospital, mensalmente, mais de 1,5 mil pessoas doentes. São casos críticos que poderiam ser evitados com a realização dos exames preventivos.

- Urologista também é médico de jovens
É importante que adolescentes visitem o médico antes de iniciar a vida sexual para tirar dúvidas e receber orientações.

- Autoexame dos testículos deve ser mensal
Prática pode evitar o aparecimento de câncer de testículo e deve ser realizada entre os 15 e 35 anos após o banho com o objetivo de detectar nódulos ou a presença de varizes testiculares.

- O exame da próstata (famoso toque) é fundamental após os 40 anos
O câncer de próstata é o mais comum entre os homens e está entre as doenças que mais mata. Patologia pode ser evitada (e o tratamento será menos invasivo) se o paciente realizar o check-up anual que inclui, também, coleta de sangue.

- Tabagismo e má alimentação podem contribuir com disfunção sexual
Dieta saudável e a prática regular de exercícios físicos mantêm a autoestima elevada e evitam o aparecimento de doenças ligadas à impotência sexual, como hipertensão e diabetes.

- Ingestão de líquidos é fundamental
Beber pelo menos 2 litros de água por dia diminui as chances de formação de cálculos renais. Também hidrata o corpo e deixa pele e cabelos mais bonitos.

- Ignorar os sintomas não elimina a doença
Dificuldade para urinar, sangramentos, perda de libido e dores locais são sinais claros de problemas de saúde. Mascará-los com o uso indevido de medicamentos ou misturas caseiras podem agravar o caso.

- Prevenção ajuda a viver mais e melhor
Não deixe de usar camisinha nas relações sexuais e de fazer os exames preventivos. Além disso, tenha um bom diálogo com sua parceira. A confiança é importante para que o sexo satisfaça plenamente o casal.

O tão temido câncer de próstata

Estudo realizado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) em 2010, aponta que o Brasil apresentou 52.350 novos casos de câncer de próstata. A doença que atinge homens acima dos 50 anos, tem difícil detecção a partir do momento que é confundida com o crescimento natural da próstata.

Esse tipo de câncer, conhecido por ser a doença da 3º idade, atinge o sistema urológico dos homens. As causas ainda são desconhecidas para a Medicina, mas acredita-se que alguns fatores influenciam no surgimento do câncer, como a idade, as más-formações congênitas, os hábitos alimentares e a hereditariedade.

Assintomático, o tumor na próstata tem crescimento lento e pode demorar mais de 15 anos para atingir 1 cm³, o que dificulta a percepção imediata do especialista. Vale ressaltar que a hereditariedade é um importante fator de risco que deve ser levado a sério, pois, homens que tiveram casos de câncer de próstata entre pai ou irmão — antes do 60 anos — correm de 3 a 10 vezes mais riscos de desenvolver a doença.

A medicina preventiva tem grandes dificuldades no combate a este tipo de câncer, devido os mitos que envolvem os exames e o tratamento, além da dificuldade de conscientizar os homens da necessidade de se ter um acompanhamento urológico.

O exame de toque retal é o principal aliado na prevenção do câncer da próstata. Ao contrário do que muitos homens pensam, o exame não fere a masculinidade e não é ultrapassado. Quando nenhuma anomalia é encontrada, o paciente é orientado a realizar novamente o exame somente após um ano.  Além do exame, uma dieta rica em frutas, legumes e verduras diminuem a chance do desenvolvimento do tumor.

O urologista Dr. José Travassos, lembra que as esposas e familiares têm um papel muito importante no combate ao câncer da próstata. Sabe-se que muitos homens só procuram um especialista quando suas esposas ou filhas marcam uma consulta. É preciso que elas sejam insistentes nesse ponto. Os homens tendem a ser mais relaxados com a saúde do que as mulheres. Ele é o primeiro urologista brasileiro a realizar uma cirurgia de Prostatectomia Radical Laparoscópica com auxílio de braço robótico.

Restou alguma dúvida? Não deixe de perguntar.

COMENTÁRIOS:

Comentários

4 Respostas para “Homens, chegou a hora de falarmos frente a frente”
  1. Maria de Fátima disse:

    Há pessoas que ainda não possuem internet ou mesmo nem entendem de computador.
    O rádio e a TV deveriam, também, divulgar estas nformações.
    A nossa saúde deve ser levada mais a sério pelas autoridades.

Comente

Deixe aqui sua opinião...