Atualmente se fala muito sobre alimentos funcionais, mas como eles agem em nosso organismo?

Eles são definidos como alimentos que fornecem muito mais do que os nutrientes básicos; são aqueles que apresentam em sua composição substâncias bioativas e, quando consumidos como parte da dieta usual, produzem efeitos benéficos à saúde, colaborando para melhora do metabolismo e auxiliando na prevenção de doenças.

Diariamente, como resultado de reações metabólicas o nosso organismo produz radicais livres. A quantidade produzida varia de acordo com diversos fatores, entre eles: alimentação, hábitos de vida e ambiente em que vivemos.

Poluição, tabagismo e dietas ricas em gorduras e açúcares colaboram para acentuar a produção dos radicais livres. Estes, quando em alta quantidade, podem lesionar tecidos, acelerar o processo de envelhecimento celular e auxiliar no desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer, obesidade etc.

Os alimentos funcionais possuem substâncias antioxidantes, responsáveis por combater os radicais livres que estão em excesso no nosso organismo; e se associados frequentemente a uma alimentação saudável, promovem muitos benefícios à saúde.

Confira abaixo quais as funções de substâncias bioativas importantes para o nosso organismo e em quais alimentos podemos encontrá-las:

  • Betacaroteno (abóbora, manga, mamão, espinafre, couve, cenoura e damasco): Protege contra o envelhecimento celular, previne certos tipos de cânceres.
  • Isoflavonas (soja e seus derivados, e inhame): Auxilia na redução dos sintomas da menopausa, previne doenças cardiovasculares, osteoporose, câncer de mama e de próstata.
  • Licopeno (tomate e seus derivados, mamão, melancia e caqui): Diminui o risco do câncer de próstata.
  • Ômega 3 (peixes de água fria, como salmão, atum e arenque, frutos do mar, óleo de peixes e semente de linhaça): Diminui o risco de doenças cardiovasculares, aumenta o colesterol bom (HDL) e reduz o colesterol ruim (LDL).
  • Ômega 6 (óleos de soja, canola, milho e girassol; nozes, castanhas, amêndoas e gergelim): Diminui o risco de doenças cardiovasculares.
  • Flavonoides (uva, suco de uva natural, vinho tinto, morango, framboesa, chá verde, amora e berinjela): Diminuem o risco de câncer e atuam como anti-inflamatórios e antialérgicos.
  • Probióticos e Prebióticos (iogurtes e leites fermentados): Ajudam no equilíbrio da flora intestinal.
  • Ácidos graxos monoinsaturados (azeite de oliva e azeitona): Protegem contra cânceres de mama e de próstata.
  • Fitoesteróis (óleos vegetais, cremes vegetais com adição desta substância, legumes, gergelim, e semente de girassol): Diminuem a absorção do colesterol.

COMENTÁRIOS:

Comentários

3 Respostas para “Alimentos funcionais fazem mesmo a diferença?”

Comente

Deixe aqui sua opinião...