Com a onda de assaltos a caixas eletrônicos contendo explosões, o Banco Central (BC) e o Conselho Monetário Nacional (CMN) determinaram que notas manchadas de tinta rosa deixam de ter validade.

E por isso não devem ser aceitas nem como meio de pagamento nem como troco.

A Proteste – Associação de Consumidores, ajuda a esclarecer todas as dúvidas sobre o assunto:

Caso você se depare com uma cédula suspeita, pode entregá-la em qualquer agência bancária, onde ela será encaminhada para o Banco Central para investigação.

Se ficar comprovado que a nota é fruto de roubo a caixas eletrônicos, o portador poderá ser investigado criminalmente e não terá direito a restituição do valor correspondente.

Por outro lado, se o resultado da perícia do Banco Central comprovar que o dano na cédula não foi causado pelos dispositivos antifurto, será providenciada a troca da nota.

Para evitar constrangimentos, fique atento e verifique com atenção as notas que recebe. A mancha rosa pode cobrir uma grande parte da cédula ou apenas as laterais. Por isso, em caso de suspeita, não aceite a cédula.

Posicionamento

A PROTESTE alerta que o banco tem que assumir a responsabilidade pela troca das cédulas manchadas se o saque foi feito em caixa eletrônico, que é abastecido pela instituição financeira. O prejuízo não pode ficar com você nessa situação. No comércio em geral, você precisa ficar atento e não aceitar nenhuma nota suspeita.

Segundo o Banco Central, existem cerca de 75 mil cédulas tingidas de rosa circulando no mercado. E o objetivo das medidas é justamente evitar a circulação dessas notas fruto de ação criminosa.

Imagem PROTESTE

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...