O primeiro órgão a denunciar a idade é a pele. Não só por sentir a transformação ao longo dos anos, pela deficiência de hormônios e pelo desgaste físico, mas principalmente por estar exposta aos raios solares e à poluição em quase 100% do tempo.

A pele precisa de cuidados especiais aos 20, 30, 40, 50 e 60 anos. Isso porque, aos poucos, os tecidos vão perdendo as propriedades necessárias para manter a pele jovem e bonita.

A lei da gravidade ativa os sinais de envelhecimento. Flacidez e rugas dão conta de perder o contorno original do rosto. Para não cair na linha do tempo a cada década a pele do rosto exige cuidados diferentes em cada etapa.

A Dra Valéria Marcondes, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, traz as informações sobre as respectivas décadas. Há duas medidas, porém, que são sempre necessárias: tirar toda a maquiagem antes de dormir e usar filtro solar diariamente.

Aos 20


Apenas uma boa hidratação é suficiente para manter a elasticidade e o aspecto saudável, além de prevenir as rugas futuras. Basta higienizar com sabonete próprio para o rosto duas vezes ao dia e dar preferência para produtos livres de óleo na composição.

Aos 30

A partir dessa idade a pele começa a sofrer alterações e aparecem os primeiros sinais de desgaste e as marcas deixadas pelo sol. O uso de ácidos retinóicos estimulam o colágeno e inibem a ação progressiva das rugas. Tratamentos estéticos como laser fracionado e peeling de cristal, também ajudam na prevenção do envelhecimento.

Aos 40

Os produtos anti-idade passam a ser itens obrigatórios, já que as linhas de expressão, principalmente na região da testa e dos olhos, começam a mostrar os sinais. Nessa fase, os tratamentos de estímulo ao colágeno e procedimentos estéticos como luz pulsada, laser fracionado e leve preenchimento são os ideais.

Aos 50

Nessa idade a flacidez já compromete o contorno facial e os vincos na região dos lábios tendem a piorar. A fonte de hidratação diária deve ser rica em vitamina C, essencial para a renovação celular. Procedimentos como peelings mais fortes e profundos, laser intensos como o fracionado de CO2, o infravermelho e a radiofrequência podem ser aliados às aplicações de toxina botulínica, que garantem o up geral no rosto. Além disso, atualmente muito se fala em reposição hormonal nessa fase da vida, já que recupera boa parte do vigor da pele.

Aos 60

Os sintomas da idade marcam com mais força as rugas profundas devido à pele mais sensível e fina. O uso de cosméticos preenchedores garantem mais tônus e elasticidade ao rosto e os tratamentos que estimulem o colágeno e o uso de clareadores, amenizam as manchas e marcas e suavizam ainda mais os sintomas da idade.

A Academia Americana de Dermatologia (AAD) adverte que dormir em certas posições noite após noite leva a “linhas de expressão” – as rugas que ficam grvadas na superfície da pele e não desaparecem quando você se levanta. Dormir de lado aumenta as rugas nas bochechas e queixo, enquanto dormir de barriga para baixo faz a testa franzir. Para reduzir a formação de rugas, a AAD diz ‘durma de costas’.

COMENTÁRIOS:

Comentários no permitidos.