Dois assuntos que precisam ser tratados com urgência: dieta para minimizar os efeitos colaterais dos tratamentos oncológicos e o alto índice de pacientes desnutridos, como identificou um estudo.

O levantamento do Instituto do Câncer do Estado de SP (Icesp) apontou que cerca de 60% dos pacientes atingidos pela doença apresentam risco nutricional. O estudo revelou ainda que grande parte desses pacientes já chega para tratamento com quadro de desnutrição.

As chances de um paciente oncológico apresentar problemas com a alimentação é três vezes maior do que o observado em portadores de outras doenças. Isso acontece por vários fatores, como o estágio da enfermidade e fase do tratamento, que pode causar efeitos colaterais como a diminuição do apetite e alterações no paladar.

O Blog da Saúde já mostrou algumas dicas para minimizar os efeitos desagradáveis causados pelo tratamento quimioterápico. Mas somado a essas dicas, há o novo livro Comida que Cuida – Câncer, editado pelo laboratório Sanofi-Aventis e distribuído gratuitamente via internet.

O Icesp atende pessoas já diagnosticadas com câncer e, por isso, grande parte dos pacientes admitidos chega ao hospital em estado de desnutrição ou com risco nutricional. Nas UTIs, este índice alcança 78% dos pacientes.

Os números são semelhantes aos da unidade de pronto atendimento, que registra 72%. Nas enfermarias cirúrgicas, observou-se uma média de 20% de pacientes desnutridos, índice menor do que os 59% apresentados nas enfermarias da Oncologia-Clínica geral.

A detecção da desnutrição no início do tratamento oncológico e ação nutricional imediata estão significativamente associadas à cura da doença.

“A indicação de complementos alimentares logo no início do tratamento reduz em cerca de 10% a taxa de mortalidade, ou seja, quanto antes intervirmos, maior é a chance de cura. Porém, é fundamental que as pessoas tenham uma boa alimentação durante a vida para evitar problemas como esses”, explica Thais Cardenas, coordenadora do setor de Nutrição e Dietética do Icesp.

Comida que cuida

A ideia do livro e também a dos médicos, é desmitificar que a refeição adequada nesses casos é a sopinha de hospital.

Gengibre, menta, salmão e até gomas de mascar são alguns ingredientes apresentados na obra, que reúne dicas dietéticas fundamentais, como informou o Estado de S. Paulo.

Evitar a diminuição do peso do paciente durante o tratamento é um dos desafios para os médicos.

O desenvolvimento do câncer de mama, cólon (intestino grosso) reto, próstata, esôfago e estômago está associado à alimentação, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Diversos tipos da doença são ligados à alimentação, por isso mantenha o equilíbrio das porções.

O livro Comida que Cuida – Câncer, editado pelo laboratório Sanofi-Aventis, pode ser acessado gratuitamente via internet, veja aqui.

COMENTÁRIOS:

Comentários

3 Respostas para “Cardápio contra o câncer”
  1. Michele disse:

    CAMPINAS RECEBE EVENTO EM PROL DO CÂNCER DE MAMA

    Com o intuito de chamar a atenção das mulheres para a importância do
    diagnóstico precoce do câncer de mama, a agência Conee Marketing de Causa
    e Eventos, idealizadora do projeto You Make It, firma parceria com o Hospital
    da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti – CAISM/Unicamp e realiza, em
    Campinas, o evento Women’s Fair, no dia 2 de abril .
    Os ingressos, no valor de R$ 15, podem ser adquiridos no CAISM, no
    Ventura Mall e na AMZ – Relações Públicas e eventos, e dão direito a acesso à
    feira e participação nas palestras – a inscrição para as palestrar deve ser feita
    com 30 minutos de antecedência. Parte da renda das vendas será revertida para
    o CAISM.
    No evento teremos a presença da classe médica renomada, empresários
    e formadores de opinião.

  2. Kamila Victor disse:

    O cuidado nutricional em pacientes portadores de câncer
    é bem difícil, ja que na maioria dos casos o tratamento quimioterapico
    faz com que o paciente perda muitas vezes o apetite e ate mesmo
    o desejo de se alimentar. Isso agrava ainda mais o seu estado nutricional, provocado por estados de hipercatabolimos.

Comente

Deixe aqui sua opinião...