*Por Reinaldo Domingos

Uma das frases mais faladas (e cantadas) no Reveillon é a tradicional “muito dinheiro no bolso e saúde para dar e vender!”. No entanto, com a virada do ano, poucas são as pessoas que realmente decidem controlar sua situação financeira. É preciso que o objetivo de ter ‘dinheiro no bolso’ ou o mais correto, ter dinheiro investido, esteja entre suas prioridades em 2011. Para isso, é necessário combinar atitude, disciplina e muita perseverança.

Mas como começar?

Primeiramente, deve-se entender que educação financeira não é uma ciência exata, que envolve apenas cálculos, matemática e planilhas. Isso faz parte sim. Porém, estamos falando de uma ciência humana, com foco nos hábitos e costumes que geram um novo comportamento em relação ao dinheiro, ou seja, um meio para a realização de sonhos.

Desta forma, reúna seus familiares para debater a situação financeira, necessidades de economias e objetivos a serem atingidos, inclusive as crianças. É preciso entender que em um lar todos devem participar. Só com a consciência e participação de todos será possível realizar os sonhos comuns e individuais.

É preciso ainda respeitar o padrão de vida que família pertence. Para isso, é recomendável a realização de um levantamento, um diagnóstico financeiro, que mostrará qual é realmente sua situação. Algumas pessoas vivem em um padrão acima da realidade, mas estão sempre preocupadas com as dívidas e problemas decorrentes. Outras vivem em um padrão um pouco abaixo do real, com sossego e dinheiro guardado para realização dos sonhos de curto, médio e longo prazo.

Sua família pode se encontrar em três situações: equilibrada, endividada ou investidora. Qualquer que seja a sua situação é preciso estabelecer uma estratégia:

1. Família endividada: é preciso a mobilização de todos. Nunca esconda problemas financeiros, pois todos terão que colaborar. Faça um levantamento dos gastos mensais, organize-se e descubra onde poderá economizar e quanto (geralmente, isso acontecerá em pequenos gastos). Busque um acordo com os credores. No entanto, só faça depois de assumir o controle financeiro familiar. Caso contrário, dificilmente conseguirá honrá-lo. Estabeleça sonhos, pois, eles serão o ‘motor’ para você modificar sua situação;

2. Família equilibrada: em casos de equilíbrio financeiro, o recomendado é que você não se acomode. Trata-se de uma situação preocupante. É muito comum ouvir algumas pessoas dizendo que não têm dívidas. Mas, na maioria das vezes, elas também não têm dinheiro guardado e é aí que está o perigo. Qualquer problema financeiro inesperado acabará se transformando em endividamento. Então, toda atenção é prudente. Comece já a diagnosticar para onde está indo o dinheiro do mês e cancele os gastos supérfluos e em excesso. Previna-se;

3. Família investidora: isso é um ótimo sinal, mas pode melhorar! O dinheiro que sobra deve ser imediatamente guardado e destinado para seus sonhos. Lembra-se: dinheiro sem destino é dinheiro que será alvo de ações publicitárias e ao descontrole financeiro. Portanto, priorize e invista de acordo com seus objetivos.

Seja qual for a sua situação financeira, o mais importante para a realização de sonhos pessoais ou familiares é planejar: manter o hábito de traçar metas, registrar os valores que precisa atingir, quanto guardará por mês e em quanto tempo realizará seus objetivos.

Independe de você ser rico ou não, o fato de saber que, caso você pare de trabalhar, terá dinheiro suficiente investido para uma aposentadoria tranquila, com plena saúde financeira, ajudará também em outros aspectos que conduzem a uma vida saudável, como física, mental e espiritual.

*Reinaldo Domingos é educador, terapeuta financeiro, presidente do Instituto DSOP de Educação Financeira e autor dos livros “Terapia Financeira” e “O Menino do Dinheiro”.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...