De acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Bebidas Não Alcoólicas (ABIR), em 2008, o consumo de refrigerantes apresentou crescimento superior a 4%, atingindo 14,1 milhões de litros consumidos, contra pouco mais de 13,6 milhões de litros em 2007.

Já em 2009, o consumo nacional passou para 14,3 milhões de litros, o que coloca o Brasil em 12º lugar no ranking mundial de consumo da bebida!

O refrigerante é classificado como uma bebida gaseificada não-alcoólica e não fermentada, que apresenta em sua composição: água mineral misturada com açúcar ou edulcorante, extratos ou aroma sintetizado de frutas ou outros vegetais, corantes e gás carbônico.

Mas será que essa combinação de ingredientes faz bem à saúde?

Muito se discute sobre os refrigerantes, mas nem tudo o que se fala está comprovado cientificamente. As consequências da ingestão do refrigerante no organismo varia de acordo com a genética, a predisposição e também a periodicidade e quantidade ingerida por cada pessoa.

No caso dos refrigerantes convencionais, existe uma grande quantidade de açúcar em cada porção. Como já falamos no Blog da Saúde, o açúcar, se consumido em excesso, pode ajudar no desenvolvimento do diabetes e o acúmulo de gordura, sobrepeso e obesidade e até o aparecimento de cáries dentárias.

Diabete tipo 2

Uma pesquisa da Universidade de Harvard (EUA), publicada na revista científica Diabetes Care, aponta que o consumo excessivo de refrigerantes e outras bebidas adoçadas com açúcar, aliado ao ganho de peso, pode contribuir para o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Os pesquisadores avaliaram dados de diversos estudos sobre o assunto realizados até maio deste ano, incluindo 310 mil participantes e 15 mil casos de diabetes, e concluíram: as pessoas que ingeriam mais bebidas açucaradas – uma ou duas porções por dia (cerca de 340g) – tinham 26% mais chances de desenvolver o diabetes do que aqueles que consumiam essas bebidas em menor quantidade – menos de uma porção por mês.

Além disso, o consumo excessivo de bebidas açucaradas foi associado a 20% maior risco de síndrome metabólica (conjunto de fatores de risco para doença cardíaca).

Estética

Os refrigerantes também são condenados por provocar o aparecimento da celulite. No entanto, não há estudos que relacionem seu consumo a esta condição. A única comprovação é a de que o acúmulo de gordura agrava o quadro: se o consumo de refrigerante convencional for exagerado, poderá ocasionar um ganho de peso que, consequentemente, contribui de forma indireta para o aparecimento da celulite.

Composição

No Brasil, os refrigerantes mais consumidos são a base de cola e guaraná, que por sua vez apresentam cafeína em sua composição. Em diferentes graus, a cafeína tem ação diurética, vasodilatadora e excitante do sistema nervoso central. Em doses muito elevadas podem desencadear pequenos tremores involuntários, aumento da pressão arterial, da frequência cardíaca e certa dependência.

E tem o sódio…

A grande quantidade de sódio presente nos refrigerantes, tanto nas versões convencionais quanto nas versões sem açúcar (light, diet e zero), ajudam na retenção hídrica e a longo prazo podem desencadear o desenvolvimento da hipertensão arterial. Outros malefícios da ingestão em excesso deste mineral são dores de cabeça, distúrbios fisiológicos, delírio e parada respiratória.

O gás também?

Os especialistas observam também que o gás acrescentado nos refrigerantes produz certa distensão gástrica, tanto como efeito imediato, como nos casos de consumo contínuo. Quando o consumo é constante, a distensão provocada pode aumentar a ingestão de alimentos, a fim de se alcançar a sensação de saciedade.

Não esqueça do leite, sucos naturais, iogurtes…

A grande preocupação dos especialistas, no entanto, é que os refrigerantes substituam na alimentação do dia a dia as bebidas saudáveis, fontes de vitaminas, minerais e fibras, como leite, sucos naturais e iogurtes.

Na busca pelo corpo perfeito, muitos optam por essa troca quando querem perder peso, já que os refrigerantes sem açúcar não contêm calorias. Porém, se esquecem que, além de calorias, eles também não fornecem os nutrientes necessários para uma alimentação saudável.

Vale ressaltar que a ingestão de sucos e refrigerantes não exclue a necessidade do cosumo de água mineral diariamente! Especialistas ressaltam ainda que, a ingestão dessas bebidas, assim como outros alimentos açucarados, deve ser limitada para reduzir a obesidade e as doenças associadas ao excesso de peso.

A melhor maneira de manter a qualidade de vida e não sofrer com os possíveis prejuízos no consumo de refrigerante é ingerí-los com moderação e não esquecer de manter uma alimentação adequada e hábitos de vida saudáveis.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...