Ocultar

Espinhas: verdades e mitos


Chocolate dá espinhas? Esta é a principal dúvida que se houve a respeito de um problema que estampa o rosto de muitas pessoas, principalmente, durante a puberdade.

Por volta de 90 % dos adolescentes apresentam as indesejáveis espinhas. A acne ocorre quando há fechamento dos poros, aumento da produção e alteração da composição do sebo e consequente proliferação bacteriana.

Jovens com tendência genética podem sofrer dias, meses e até mesmo anos por causa de espinhas e cravos, tentar milhões de fórmulas para combatê-los e ainda ter queda de autoestima.

Segundo a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço, o processo de formação e seu aparecimento começam nessa fase, porque os hormônios influenciam na produção das glândulas sebáceas.

É possível tomar mais alguns cuidados que ajudam a atenuar a gravidade do caso. Annia fala sobre mitos e verdade desse incômodo:

Acne é coisa só de adolescente: Mito. Após a puberdade, a acne pode aparecer em qualquer etapa da vida do ser humano, pois depende do estímulo hormonal de cada pessoa e da produção das glândulas sebáceas, além de outros motivos. Algumas mulheres têm alteração hormonal resultante de ovário policístico e é importante diagnosticar o quanto antes.

Existem tratamentos que podem acabar com a acne para sempre: Verdade. Alguns métodos podem acabar com o problema de vez. Todos eles precisam ser indicados pelo médico e a chance de cura chega a 85%. Mas é importante o diagnóstico de um especialista, pois os tratamentos variam de pessoa para pessoa.

Comer chocolate dá espinhas: Mito. “Estudos recentes mostram que uma dieta rica em carboidratos de alto índice glicêmico – como doces, pães e biscoitos – levam a uma alteração na resistência à insulina, o que estimularia o aparecimento da acne. Entretanto, essa relação é hormonal e indireta, pois a gordura que comemos não vai para a pele”, ressalta.

A acne pode durar a vida inteira: Verdade. “Homens e mulheres podem desenvolver acne de todos os tipos e em qualquer idade após a adolescência. Por isso é indicado tratá-las sempre, para evitar que ela deixe cicatrizes no corpo, principalmente no rosto.

Qualquer creme ou gel anti-acne resolve o problema: Mito. O uso de produtos oleosos como cremes e filtros solares não adequados promovem o aparecimento ou pioram o quadro de acne. São indicados géis com ácidos salicílico, retinóico e glicólico, sob orientação do dermatologista. Para a limpeza, deve-se usar sabonetes desengordurantes, mas não em excesso.

Apertar a espinha pode causar danos irreversíveis na pele: Verdade. Ao apertar a espinha, corre-se o risco de aumentar a inflamação e deixar uma cicatriz ainda maior que pode ser permanente.

*Dra. Annia Cordeiro Lourenço é Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1995, fez residência em Dermatologia na Santa Casa de Curitiba e especialização na mesma área na Sociedade Brasileira de Dermatologia. Atualmente, atende em seu consultório.

Comentários

3 Respostas para “Espinhas: verdades e mitos”
  1. Eliseu disse:

    Muito interessante

  2. apartamentos disse:

    Acreditava muito na do chocolate.

Comente

Deixe aqui sua opinião...