Já tínhamos informado no Blog da Saúde que o calor do laptop no colo pode causar danos à pele, a “síndrome da pele tostada”, atípica condição provocada por muito tempo de exposição ao calor.

Agora, um novo estudo aborda a relação entre o uso do computador no colo e a fertilidade dos homens. Mas qual é a ligação entre eles?

De acordo com uma pesquisa publicada pela revista “Fertility and Sterility”, usar o laptop no colo pode não fazer bem à saúde reprodutiva masculina.

Como isso foi concluído?

Para o estudo, termômetros foram usados para medir a temperatura dos escrotos de 29 jovens que tinham laptops apoiados sobre os joelhos. Mesmo com um suporte sob o computador, os escrotos dos participantes se superaqueciam rapidamente.

“Depois de apenas dez ou 15 minutos, a temperatura de seus escrotos já estava acima do que consideramos seguro, mas eles nem perceberam”, informa Yelim Sheynkin, urologista da State University of New York e coordenador do estudo.

Ainda que fatores gerais de saúde e estilo de vida, como nutrição, uso de álcool e drogas, possam afetar a saúde reprodutiva, jeans e cuecas apertados, por exemplo, em geral não são considerados fator de risco, porque as pessoas se movimentam quando os usam.

Mas manter um laptop equilibrado sobre os joelhos exige manter as pernas imóveis e fechadas. Depois de uma hora nessa posição, os pesquisadores constataram que a temperatura dos testículos sobe 2,5ºC.

Mesmo quando os homens mantinham as pernas abertas, com o uso de uma grande almofada para apoiar o computador, os testículos ficavam mais frios, mas ainda assim começavam a apresentar aquecimento excessivo após meia hora.

Em condições normais, a posição natural dos testículos fora do corpo, faz com que se mantenham alguns graus mais frios que o restante do organismo, o que é necessário para produção de esperma.

Como resolver

Para o urologista, há pouco que se possa fazer quanto a isso, além de usar a máquina sobre uma mesa.

Um suporte para o laptop mantém a máquina mais fria e impede transferência de calor à pele, mas Sheynkin alerta que isso não ajuda muito a refrigerar os testículos e pode oferecer uma falsa sensação de segurança.

Até hoje nenhum outro estudo havia pesquisado o efeito dos laptops sobre a fertilidade masculina, mas pesquisas anteriores demonstraram que aquecer o escroto em mais de 1ºC um grau é o bastante para danificar os espermatozoides.

*Com informações da Reuters.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...