A partir de janeiro de 2011, o Registro Nacional de Doares de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional de Câncer (Inca), deve contar com um sistema de informática que permitirá o cadastramento de doadores pela internet. A novidade trará agilidade e mais chances para um paciente encontrar um doador.

Atualmente, o acesso é feito pelo e-mail redome@inca.gov.br. O cadastro é realizado por meio dos hemocentros.

Como funcionará?

O novo sistema permitirá ao Inca fazer testes que vão determinar a característica genética do doador. As informações serão mantidas no banco de dados do Registro Nacional de Doares de Medula Óssea e cruzadas posteriormente com os dados do paciente, que são inscritos, via internet, no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme).

O doador cadastrado poderá ser chamado para fazer a doação até completar 60 anos.

Qualquer pessoa na faixa etária dos 18 aos 55 anos pode se inscrever como doadora de medula óssea. Para tanto, em um primeiro momento, ela deve fornecer seus dados pessoais e fazer a coleta de uma amostra de sangue.

Além do cadastramento de doadores pela internet, o Redome também passou a contar com um novo número de telefone (21) 3207-5238. O canal pode ser utilizado para obter informações sobre o processo e tirar dúvidas de pessoas interessadas em doar medula óssea.

Não tem risco?

O coordenador do Redome, o hematologista Luis Fernando Bouzas, esclarece que a coleta da medula óssea não representa nenhum risco para o doador. O procedimento é simples.

“É um procedimento seguro. O doador não sofre nenhum tipo de problema ou sequela. A medula óssea é aquele material líquido, gelatinoso, parecido com o sangue, que tem dentro dos ossos. Não tem nada a ver com a medula espinhal ou o sistema nervoso central”, explica

Como já informamos no Blog da Saúde, dentro de três ou quatro dias, o doador já pode voltar às suas atividades normais. “Não há razão ficar com medo. Mais de 50 mil transplantes são realizados por ano em todo o mundo”, destaca Bouzas.

Segundo ele, há cerca de 70 doenças com indicação para transplante de medula óssea. Entre elas, leucemias agudas e crônicas, linfomas e doenças da medula óssea, como anemias graves e congênitas.

Atenção: A doação de medula óssea é vetada às pessoas que tiveram ou têm doenças transmissíveis pelo sangue, caso da hepatite B e C e da aids. Elas não podem ter também nenhum tipo de câncer, doenças infecciosas ou ligadas à medula óssea.

Doadores cadastrados

O Inca conta hoje com cerca de 1,8 milhão de doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea. Essa marca torna o Redome o terceiro maior registro do mundo em número de doadores.

O sistema procura doadores em potencial dentro e fora do país, isso porque em todo o mundo há 15 milhões de doadores cadastrados.

“Quando não encontramos um doador brasileiro no registro nacional, ao mesmo tempo acessamos os registros de outros países para buscar essa possibilidade. Não é comum encontrar um doador fora do Brasil mas, às vezes, acontece”, informa o hematologista.

Ele explicou que a razão para isso é que parte da população brasileira é originária de correntes migratórias, principalmente da Europa e África.

Quem precisa de doação

Hoje, 30% dos pacientes têm um doador compatível na família que, em geral, é um irmão.

70%  dependem do registro nacional. São eles os pacientes cadastrados no Rereme, banco de dados que totaliza 6,8 mil inscritos, dos quais 1,2 mil estão ativos este ano, na busca de um doador compatível.

Previsão

Para 2011, a meta é aumentar o percentual de possibilidades de encontrar um doador compatível para os pacientes inscritos no Rereme para 60% a 70%. “Para isso, vamos ter que cadastrar um número significativo de doadores”, revelou Bouzas.

O Inca está trabalhando para direcionar as campanhas para regiões mais específicas e de menor representatividade no Redome, como Nordeste, com destaque para a Bahia; o Norte, sobretudo a Amazônia; e o Centro-Oeste.

Campanhas

São Paulo

No dia 20 de novembro, o Hospital Universitário São Francisco, em parceria com a AMEO (Associação da Medula Óssea do Estado de São Paulo), promoverá uma campanha de cadastramento de doadores de medula óssea, no Centro Comunitário da Universidade São Francisco, em Bragança Paulista (SP).

Para participar da campanha, o voluntário deve ter entre 18 e 55 anos, estar em bom estado de saúde, apresentar documento com foto e comprovante de residência. Após uma breve palestra explicativa, o participante que decidir fazer a doação será encaminhado à coleta de sangue para o teste de compatibilidade, no mesmo local. Não é necessário estar em jejum.

Local: Centro Comunitário da Universidade São Francisco – Rua Renata de Oliveira, s/no. (Próximo ao estacionamento de alunos da Universidade São Francisco)
Dia e horário: 20/11, das 10 às 16 horas.
Informações: HUSF – Atendimento ao Cliente: 0800-773-7734

Rio de Janeiro

No próximo dia 12 de dezembro, será realizada na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, a 2ª Corrida e Caminhada com Você, pela Vida – Doe Medula Óssea, em um percurso de 6 quilômetros.

O evento abrirá a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. As campanhas têm apresentado resultados positivos. Nos últimos anos, foram cadastrados cerca de 350 mil a 380 mil doadores anualmente.

Participe você também. Seja um doador! Clique aqui para mais informações.

- Transplante de medula: Mais uma esperança na busca por um doador

- Transplante de medula óssea terá cobertura de planos de saúde

* Com informações da Agência Brasil.

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Medula Óssea: Doadores vão poder se cadastrar pela internet a partir de 2011”

Comente

Deixe aqui sua opinião...