Ocultar

Botox para o Parkinson, paralisia e enxaqueca?


A utilização do Botox para apagar os efeitos do tempo e mascarar as rugas todo mundo já conhece. Mas você sabia que ele pode contribuir muito também no campo da saúde?

Cientistas britânicos desenvolveram uma nova forma de unir e reconstruir moléculas e usá-las para refinar o Botox. A técnica pode melhorar a utilização do antirrugas no tratamento do Parkinson, paralisia cerebral e enxaqueca crônica.

O método empregado pelos especialistas do Laboratório de Biologia Molecular do Conselho Britânico de Pesquisa Médica gerou uma molécula refinada que pode ser útil para uso clínico, sem efeitos tóxicos indesejáveis.

Analgésicos

Os pesquisadores disseram que suas descobertas levantam a possibilidade de desenvolver novas formas da toxina botulínica para serem usadas como analgésicos de longa duração.

“Agora será possível produzir medicamentos à base de Botox de uma forma mais segura e econômica”, disse em comunicado Bazbek Davletov, que dirigiu o trabalho, publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS).

O método permiti que os cientistas desenvolvam uma maneira de aliviar a dor crônica pelo tempo de duração de uma injeção de Botox – que varia de 4 a 6 meses.

Ampla atuação

O Botox tem sido cada vez mais usado como tratamento médico, por relaxar músculos e nervos, diminuir a dor, além de aliviar espasmos musculares e tremores, sintomas característicos dos pacientes com Parkinson, por exemplo.

Em julho, o Reino Unido se tornou o primeiro país a aprovar o Botox para tratamento de enxaqueca. Mas a substância é extremamente tóxica e só pode ser utilizada bastante diluída, fator que tem limitado a ampliação de seu uso para outros fins.

“Esta é a primeira vez em que fomos capazes de tratar as moléculas de proteína, como blocos de construção, combinando-as a fim de criar uma base de tratamento que não era possível anteriormente”, ressaltou Davletov.

Brasil

No Brasil, o Botox é legalmente usado no tratamento de problemas como contrações involuntárias da musculatura em diversas partes do corpo, estrabismo, sequelas de AVC, bexiga hiperativa e hiperidrose (suor excessivo).

*Com informações da Reuters.

Comentários

2 Respostas para “Botox para o Parkinson, paralisia e enxaqueca?”
  1. Mêlanie disse:

    Não fazia ideia disso! Muito bom saber!

  2. vanda disse:

    ola eu gostaria de saber se alguem tem apostilas de uti para me enviar pos eu to trabalhando nesse setor mais eu quero ficar + atulizada sobre esse setor ou me comunicar com pesso que querem conpartilhar as suas esperiencia comigo pos ficarei muito grata meu email.erivanda2008@hotmail.com se alquei tiver livros para me dor vai ser melhor ainda muito obrigado a todos que me ajudarem.bjs

Comente

Deixe aqui sua opinião...