Todos os anos, cerca de 250 mil pessoas morrem no Brasil vítimas de parada cardíaca ou cardiorrespiratória.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), esse número pode ser reduzido com técnicas de ressuscitação aplicadas por profissionais da saúde ou mesmo por cidadãos comuns.

Informação

Para informar a população e ensinar como a técnica deve ser aplicada, a entidade inaugurou esta semana, na cidade de São Paulo, o Centro de Treinamento e Simulação em Saúde para profissionais da área médica e leigos.

Segundo o coordenador do centro, Manoel Fernandes Canesin, a ressuscitação precisa ser feita imediatamente após o ataque e deve ser aplicada por quem estiver próximo da vítima e saiba fazer a massagem cardíaca.

O importante é o socorro rápido, mesmo quando aplicado por quem não tem formação médica. O especialista explica que o atendimento deve começar nos primeiros dois ou três minutos em que o indivíduo perde a consciência ou sente dor.

“O papel do leigo nesse momento inicial com a massagem cardíaca é fundamental. A cada minuto que passa a chance de sobrevivência é 10% menor. Temos que encurtar esse tempo ao máximo. Se passarem cinco minutos, a chance de sobrevivência desse indivíduo é muito pequena. E é isso que vamos ensinar no centro de treinamento”, ressalta Canesin.

Muitas vezes, as pessoas se preocupam em chamar o atendimento médico, mas não sabem como ajudar. Por isso, o especialista alerta que se alguém passar mal e perder a consciência ao seu lado é importante iniciar a massagem até o suporte chegar com a ambulância.

Estrutura

O Centro de Treinamento conta com salas e auditório para aulas teóricas e práticas com manequins eletrônicos nos quais os alunos vão treinar identificação de pulso, de parada respiratória e cardíaca e farão a massagem cardíaca. Também aprendem como usar os desfibriladores para restauração dos sinais vitais.

Além do Centro de Treinamento, a SBC promove, em São Paulo e outros estados, cursos para médicos que atuam em áreas hospitalares, de recuperação de crianças e de capacitação de leigos para atuar em grandes concentrações, como aviões, transportes coletivos, estádios e espaços públicos em geral. Aproximadamente 20 mil pessoas já foram treinadas.

Segundo o diretor de Promoção à Saúde Cardiovascular da SBC, Dikran Armaganijan, as empresas, por exemplo, precisam ter pelo menos uma pessoa treinada para cada 100 funcionários.

Armaganijan explica que a procura pelos cursos está maior, isso porque a população cresceu, envelheceu e aumentou o número de indivíduos que podem ter um episódio agudo de infarto, maior causa de morte entre os brasileiros, principalmente, em pessoas a partir de 35 anos.

O diretor de Promoção à Saúde Cardiovascular da SBC informa ainda que a entidade resolveu montar um espaço fixo em São Paulo, porque além da demanda estar crescendo,  mais de 70% da aulas ocorrem na capital paulista.

O Centro de Treinamento da SBC fica na Alameda Santos, 705, 10º andar – Cerqueira César – São Paulo/SP.

- Desmaiou na sua frente: o que fazer

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Infarto: O que fazer quando alguém passa mal ao seu lado?”
  1. Muito bom o blog, adorei. Muito interessante!!

Comente

Deixe aqui sua opinião...