Por mês, são 66 sacos plásticos por brasileiro. Um saco demora até 400 anos para se decompor. Os aterros sanitários ficam lotados deles e muitos ainda ficam presos em uma corrente de lixo no oceano Pacífico e Atlântico. Mas e se fosse possível converter o plástico novamente em petróleo?

“Ao usar a tecnologia japonesa nós pensamos que poderíamos converter plástico de volta a óleo. Como é feito de petróleo, então, provavelmente, não deve ser muito difícil converter de volta. Foi assim que tudo começou.” Akinori Ito, da Blest, empresa fabricante da máquina conversora.

Nós explicamos: a máquina japonesa possui um aquecedor elétrico que é capaz de processar polietileno, poliestireno e polipropileno (tipos 2-4). Então o plástico transforma-se em um gás de petróleo que poderia alimentar geradores e fornos, e até abastecer o motor de veículos depois de ser, possivelmente, refinado em gasolina, diesel ou querosene.

A intenção da Blest é também fazer com que as pessoas valorizem o que jogam fora, ao perceber que podem converter os saquinhos em um recurso valioso. Ao levar a máquina aos continentes em desenvolvimento, Akinori quer que os adultos e, principalmente, as crianças olhem para o que jogam fora de outra maneira.

Com um quilo de plástico, pode-se produzir um litro de petróleo, consumindo um quilowatt de eletricidade. Atualmente, a versão menor da máquina é comercializada no Japão por 9.500 dólares, mas a empresa espera que se torne mais acessível no futuro.

A máquina não freia o consumo abundante a que as pessoas estão acostumadas, mas pode fazê-las pensar sobre o gasto de matéria prima e trazer uma nova consciência sobre o valor do que consideramos lixo.

Veja abaixo, um vídeo sobre a vida de um saco plástico:



COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Nova invenção: Máquina converte plástico em petróleo”

Comente

Deixe aqui sua opinião...