Andy Durham descobriu na internet um remédio que, normalmente usado para problemas de crescimento anormal, poderia ajudar o tratamento de sua filha.

Charlotte Durham, de 18 anos, sofre de hipertensão intracraniana idiopática – um raro transtorno neurológico que aumenta a pressão interna no cérebro levando a fortes dores de cabeça e que pode causar cegueira.

Pesquisa

Tentando achar uma saída para o problema da filha, Andy Durham, leu na internet que o medicamento (a substância octreotide) obteve bons resultados no tratamento de 24 pacientes que sofriam da doença, de um grupo de 26 pessoas, durante um estudo médico realizado na Grécia.

A partir daí, batalhou para convencer o sistema de saúde público britânico, o National Health Service – NHS, a financiar o remédio que ele encontrou na rede para tratar a filha.

O problema é que o NHS financia tratamentos e remédios para os pacientes, desde que já tenham sido testados e aprovados pelas autoridades de saúde locais.

Esperança

Charlotte corria o risco de ter que passar por uma cirurgia na qual o líquido cefalorraquidiano (LCR), que causa o aumento da pressão dentro do crânio, é drenado para outra cavidade corporal.

Mas seu pai convenceu o Hospital da Universidade de North Staffordshire a experimentar o uso da octreotide durante um tratamento de dez dias.

O hospital então sugeriu o tratamento para as autoridades de saúde de South Staffordshire, onde mora a jovem, que concordou em financiar o tratamento pelo NHS.

De acordo com a autoridade de saúde local, a substância octreotide normalmente não é financiada para esta doença. No entanto, “este caso tem circunstâncias clínicas excepcionais por conta da condição de Charlotte ser incomum, mesmo entre pacientes em condições similares, e ela não responder ao tratamento comumente recomendado para esta doença”, informou em um comunicado.

Investimentos

Segundo o neurologista Brendam Davies, da Clínica Regional de Dores de Cabeça de North Midlands, “o caso de Charlotte ressalta a necessidade de financiamento de mais pesquisas clínicas sobre o tratamento efetivo de hipertensão intracraniana idiopática”.

A doença normalmente atinge mulheres jovens e obesas.

Vale lembrar, no entanto, que é preciso ter cuidado com o conteúdo da internet. Não se deve acreditar em tudo o que está escrito. Procure fontes confiáveis. Caso desconfie de alguma informação, busque sites que você tem conhecimento, realize novas buscas e compare as informações, consulte sites que tenham credibilidade.

* Com informações da BBC.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...