Sabe aquelas pessoas que estão sempre doentes, que vão ao médico quase que semanalmente, que carregam uma malinha de remédios para onde vão e sempre têm uma história para contar independente da doença que for mencionada no assunto?

Sim, os hipocondríacos!

Os hipocondríacos se caracterizam por apresentar medos e preocupações constantes com a ideia de ter uma doença grave. Qualquer sensação ou reação do organismo, mesmo que insignificante, acende o alerta de que há alguma coisa errada com a saúde.

Os hipocondríacos têm exagerada preocupação com a saúde. Por isso, as visitas ao médico e serviços de saúde são constantes. Em alguns casos, mesmo com resultados negativos de exames, a dúvida permanece e muitas vezes os testes são repetidos para comprovar de que não existe uma doença grave.

A forte rejeição às opiniões médicas é inclusive uma das principais características do os hipocondríacos.

Normalmente, uma pessoa hipocondríaca se sente incompreendida pelo fato de sempre achar que tem uma doença grave e que o médico ou a família não entende ou não acredita no que ele está sentindo.

A doença é comum a ambos os sexos e, em geral, surge entre os 20 e 30 anos de idade. Crianças também sofrem com o problema, mas para elas há esperança de recuperação na adolescência ou no início da idade adulta.

Segundo especialistas, o equilíbrio é a melhor solução para a convivência com os hipocondríacos: a família não deve compactuar com a obsessão por visitas médicas, exames e procedimentos desnecessários, nem ignorar o doente.

Causas da hipocondria

As causas da doença ainda não foram esclarecidas precisamente, mas alguns aspectos ligados à história pessoal do paciente são relevantes. A valorização e o papel conferidos ao corpo e às doenças durante a vida do hipocondríaco, ou das pessoas importantes para ele, podem influenciar. Conta também a maior ou menor capacidade em lidar com questões físicas e psíquicas.

Sintomas

Medo e crença de estar gravemente doente são os principais sintomas. Os outros sinais são: buscar serviços de saúde repetidamente, solicitar a realização de exames de modo exagerado, grande interesse por assuntos médicos e rejeição das opiniões dos especialistas. O hipocondríaco normalmente conhece um grande número de medicamentos. Sabe para que servem, como devem ser tomados e suas contra-indicações.

Diagnóstico

O diagnóstico da hipocondria é feito, inicialmente, pela constatação dos sintomas característicos da doença. A preocupação com o corpo e a saúde é aceitável, desde que não seja exagerada. No entanto, discernir entre uma característica da personalidade e uma doença é um desafio dos especialistas. A orientação de um profissional é fundamental.

Quando é hora de procurar ajuda médica?

Depende da intensidade dos sintomas. Para o paciente, seu comportamento é normal e justificável. Em alguns casos, ele próprio percebe que está com problemas. No entanto, é comum que alguém da família perceba os excessos e procure ajuda médica. Pode acontecer também de um médico mais atento identificar a doença.

Classificação

O quadro de hipocondria pode apresentar diferentes graus de comprometimento. Existem pacientes que conseguem manter seus relacionamentos, vínculos sociais e até uma atividade profissional. No entanto, em alguns casos, tudo fica comprometido por causa da gravidade da doença.

Existem ainda casos de hipocondria transitória, geralmente relacionados a situações estressantes.

Tratamento

Casos menos graves podem ser conduzidos por clínicos gerais que tenham tolerância e disponibilidade. Eles devem reservar algum tempo para ouvir o paciente, tendo o cuidado de não fazer encaminhamentos desnecessários, nem solicitar exames exaustivamente. Casos mais complexos requerem atuação de especialistas: psiquiatras e psicólogos.

Não existe medicação específica para hipocondria, até porque essa pessoa não se acha doente psicologicamente e não permite uma ajuda psiquiatra. No entanto, quando existem sintomas depressivos associados, os antidepressivos podem ser prescritos pelo especialista.

* Com informações da revista Viva Saúde.

COMENTÁRIOS:

Comentários

3 Respostas para “Você é hipocondríaco?”
  1. mariana Carneiro disse:

    olá
    sou produtora de elenco do alternativa saúde , do GNT. A Conspiração filmes é a produtora responsável e mudamos o formato do programa afim de nos aproximar mais do público . Agora, teremos participantes com diversos tipos de quadros que serão acompanhados durante 3 dias pela Patrycia e por outros 2 novos apresentadores, 1 deles um médico. Teremos, também, para cada quadro 4 especialistas que irão ajudar o participante e a equipe, dando dicas de como ser delicado e verdadeiro. Gostaria de indicações de profissionais para serem especialistas(esses serão filmados no próprio consultório). Um dos quadros que temos é a hipocondria e tenho tido muita dificuldade em achar participantes. Gostaria, também, de indicações nesse sentido. Sei que é bem delicado mas se vier alguém a cabeça com esse perfil, não precisa ser muito severo, seria maravilhoso.

    Temos outros temas também que vão ser filmados logo depois:
    Ortorexia – Vicio em alimentação natural
    Toc
    Insônia
    Problemas de pele de cunho nervoso ou genetico
    obesidade na adolescencia
    colesterol
    hipertensao
    dor

    O alternativa já está a 10 anos no ar com razões nobres: esclarecimento e informação útil para os telespectadores procurando desmistificar crenças cimentadas pela sociedade e auxiliar uma grande parcela que sofre de males que desconhecem ou não compreendem. Este é o link do site da GNT: http://gnt.globo.com/alternativasaude/Noticias/Pa

    meu e-mail é marianalamb@gmail.com

    Muito obrigada,
    Aguardo seu contato.

Comente

Deixe aqui sua opinião...