Para ajudar no combate à AIDS, a International Partnership for Microbicides (IPM) está lançando na África um estudo para testar um anel vaginal que libera antirretrovirais, medicamentos que impedem a multiplicação do vírus HIV no organismo em várias etapas de sua reprodução. 

O anel vaginal é um método anticoncepcional que consiste em inserir um anel flexível no fundo da vagina, que normalmente libera hormônios.

Para o teste, 280 mulheres saudáveis, sexualmente ativas e soronegativas vão utilizar um anel contendo 25 mg de dapivirine e um placebo – que devem ser substituídos mensalmente durante três meses. O dapivirine já é utilizado para evitar a transmissão da AIDS de mãe para filho.

As participantes do estudo receberão ainda preservativos e aconselhamentos para evitar a doença.

Primeiramente, a pesquisa medirá a capacidade de aceitação do uso do dispositivo. Se os testes de segurança e aceitabilidade forem conclusivos, os anéis passarão por uma fase de testes destinada a medir sua eficácia, podendo ser comercializados em 2015.

O IPM lançou seu estudo em centros de pesquisas do sul e do leste da África, regiões em que a AIDS castiga mais fortemente.

Mais iniciativas contra a doença no Continente Africano

Com a Copa do Mundo, a Organização das Nações Unidas (ONU) quer reforçar a campanha mundial de combate à infecção de bebês com o vírus HIV.

Embaixadores do Programa das Nações Unidas sobre HIV-Aids (Unaids) querem que os capitães das seleções de futebol que vão disputar o Mundial assinem um documento de apoio à prevenção da mortalidade materna e de bebês em decorrência da AIDS.

A iniciativa da ONU tem o apoio do ex-capitão da seleção da Alemanha, Michael Ballack, e do jogador do Togo Emmanuel Adebayor – ambos embaixadores do Unaids.

Jogadores das equipes de Camarões, do Paraguai, do Uruguai e da África do Sul já assinaram o documento.

Números da AIDS

– A AIDS é a principal causa de morte entre mulheres em idade reprodutiva (entre 15 e 44 anos).

– A cada 90 minutos quase 80 recém-nascidos são infectados com o vírus no mundo.

– Em 2008, 430 mil bebês foram infectados, sendo 90% na África Subsaariana.

*Informações das Nações Unidas no Brasil e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Discrição, eficácia e proteção contínua contra a Aids”

Comente

Deixe aqui sua opinião...