A chegada da pílula anticoncepcional, na década de 60 marcou a revolução feminina. Com ela, as mulheres puderam ganhar autonomia para controlar a concepção e também serviu como excelente alternativa às cólicas e ovários policísticos.

Os anos se passaram e com eles as inovações foram chegando. Até a famosa “pílula do dia seguinte” já existe. Bem, o certo é que desde a década de 60 até hoje muitas ainda são as dúvidas sobre este método anticoncepcional.

O Blog da Saúde pesquisou e traz para algumas questões que sempre intrigam a cabeça das mulheres. Confira!

1) A pílula traz efeitos colaterais e riscos?
Na ausência de condições como hipertensão e diabetes os riscos são pequenos, mas existem. Algumas reações colaterais podem ser retenção de líquido, dor de cabeça e nos seios, náusea, sangramento irregular e alteração de humor. Está acontecendo com você? Fique tranquila, esses problemas tendem a melhorar após o terceiro mês de uso.

2) Pílula anticoncepcional diminui a cólica? Por quê?
Sim. A pílula diminui a produção de uma substância chamada prostaglandinas. São elas que causam as contrações uterinas e nos levam àquelas dores terríveis. Depois que você começou a tomar pílula seu fluxo menstrual diminuiu? Normal. Isso pode acontecer porque o remédio diminui também a produção de prostaciclina. Essa substância é responsável pela vasodilatação que facilita o fluxo sanguíneo.

3) Utilizei a pílula por muitos anos. Será muito difícil engravidar?
Quando não há nenhuma contraindicação a pílula pode ser usada por anos a fio sem nenhuma preocupação. A partir de dez anos ou mais pode demorar mais tempo até que consiga engravidar. Isso porque seu ciclo de ovulação começará gradativamente a voltar ao normal. Seis meses é o tempo que costuma-se demorar até que você consiga engravidar com mais facilidade. Programe-se e tenha uma gestação tranquila e saudável.

Polêmica – Pílula do dia seguinte é “abortivo”?

Não. Se você já utilizou esse método e se pune até hoje por achar que tirou a vida de seu filho pode ficar com a consciência tranquila. Isso porque, segundo Dr. Luciano Melo Pompei, ginecologista e membro da diretoria da Febrasgo – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia “no meio científico, só consideramos que há gestação a partir do momento em que existe a nidação (quando o embrião adere ao útero). Essas pílulas agem antes da nidação e jamais provocam a perda do embrião se ele já estiver aderido.”

Fique atenta. Isso não significa que você sairá por ai sem responsabilidade nenhuma e tomar a pílula como se fosse um antigripal.  Sexo seguro e planejamento familiar fazem parte da rotina de toda mulher moderna. Respeite-se e cuide de sua saúde.

*Com informações do Caderno Equilíbrio da FSP.

COMENTÁRIOS:

Comentários

3 Respostas para “Anticoncepcional – Mitos e Verdades”
  1. erika disse:

    pow isso,mer ajudou mtoo
    adorei as dicas mto obrigadhùu
    ass:Erika Leticia

  2. Ester disse:

    Que bacana esse post! Sempre usei pílula mas gostaria de saber mais sobre as injeções mensais disponíveis no mercado.

Comente

Deixe aqui sua opinião...