Durante o curso da vida os pais esperam ver seus filhos crescerem e se desenvolverem sozinhos até o fim de suas vidas. É difícil para os pais aceitar a ideia de ter que enterrar seus filhos, mas isso acontece muito nos dias de hoje. Muitos jovens estão envolvidos em drogas, bebidas, acidentes de carro, etc.

Mas quem poderia imaginar que a morte prematura de jovens teria como principal causa, doenças não contagiosas como diabetes, hipertensão, câncer e doenças cardiovasculares? É o que alerta a diretora-geral da OMS (Organização Mundial de Saúde), Margaret Chan.

Segundo ela, a atual geração de crianças pode ser a primeira a ter expectativa de vida menor que a de seus pais. Infartos, diabetes e asma, que matam cerca de 35 milhões de pessoas anualmente, estão atingindo cada vez mais crianças e adolescentes.

Esse cenário pode ser uma consequência dos hábitos alimentares dessa nova geração que prefere comer um lanche de fast food a comer o tradicional arroz e feijão da mamãe. Mas a culpa não é só dos jovens, os pais também estão perdendo o controle sobre seus filhos, que fazer o que querem.

A obesidade ou até mesmo o sobrepeso são os maiores agravantes para a diminuição da expectativa de vida dessa geração. No mundo todo, 43 milhões de crianças em idade pré-escolar são obesas ou estão acima do peso. Esse é um dos fatores que levam as crianças a terem mais problemas cardiovasculares e diabetes, é a chamada Síndrome Metabólica, que atinge 80% dos obesos.

Para reverter esse quadro, a única alternativa é mudar os hábitos alimentares dos filhos e fazer com
que eles gastem as energias com a prática de esportes. Comente.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...