Se você fosse capaz de mudar o futuro como Evan no filme “Efeito Borboleta” o que você mudaria?

O ser humano ainda não tem o mesmo poder da ficção, mas a ciência está provando a cada dia que pode mudar o futuro da medicina.

AIDS
Atualmente, cerca de 630 mil pessoas sofrem com a AIDS no Brasil. Campanhas de conscientização do uso da camisinha em relações sexuais são realizadas o tempo todo, e mesmo assim os casos não param de crescer no mundo.

Além disso, a cura ainda não foi descoberta pela medicina, somente um coquetel de remédios pode ajudar o soropositivo a prolongar o seu tempo de vida. Mas uma descoberta de cientistas americanos pode fazer com que no futuro seja diferente.

Antigamente, os cientistas achavam que os glóbulos brancos – que fazem parte do sêmen, junto com os espermatozóides e o plasma seminal – eram os responsáveis pela transmissão do vírus para o seu parceiro, pois são eles que costumam ser atacados pelo HIV que deposita seus genes no DNA dos glóbulos brancos.

Diante dos estudos, os cientistas descobriram que o transmissor do vírus são os RNAs– moléculas parecidas com o DNA – que ficam flutuando no sêmen. Elas que carregam o material genético do HIV. Isso foi comprovado através da comparação de genes das células presentes na vesícula seminal com os glóbulos brancos da corrente sanguínea, que possuíam uma pequena diferença.

Como os cientistas agora sabem qual parte do sêmen que transmite o vírus do HIV, eles poderão desenvolver vacinas e medicamentos que previnam a transmissão da AIDS.

“O futuro reserva muitas coisas boas, e a ciência mostra, através de suas descobertas, que
um mundo sem doenças não é impossível. Por enquanto faça a sua parte e previna-se!”

COMENTÁRIOS:

Comentários

3 Respostas para “AIDS: Uma descoberta para mudar o futuro…”
  1. sony disse:

    tenho a certeza da cura desta doença que afliz o mundo em geral acredito em Deus e nos cientista porque eles fazem grande trabalho

Comente

Deixe aqui sua opinião...