Ainda temos quase dois meses para aproveitar o verão, que acaba no dia 20 de março, quando começa o outono. Curtir o sol na praia é a alternativa da maioria das pessoas que moram no hemisfério sul do planeta.

Mas para curtir o sol é preciso se atentar para os cuidados com a pele. Ele sempre brilha mais forte no horário das 10h até as 16h, por isso é importante evitar tomar o banho de sol nesses horários.

O principal motivo para seguir essa e outras dicas de verão, é para evitar a doença que tem maior incidência nessa época do ano: o câncer de pele. Essa informação é confirmada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA). Para esse ano são esperados mais de 100 mil novos casos da doença.

Proteção é a Melhor Receita!

Fuja do sol ou se proteja!

Segundo o médico oncologista, Ronaldo Correa, os horários de maior incidência de radiação UV – das 10h às 16h – devem ser evitados, e caso a pessoa queira aproveitar mais o sol, ela deve usar alguns acessórios para não correr riscos, como usar óculos escuros, ficar debaixo de barracas, usar camisa de manga comprida, e se proteger com filtro solar.

Pessoas que têm pele, cabelos e olhos claros são mais sensíveis à radiação solar, por isso precisam utilizar um fator de filtro solar mais alto do que pessoas que não compõem essas características.

O filtro também deve ser reaplicado após cada mergulho feito no mar e quando a pessoa estiver transpirando muito.

Sintomas
Para fazer um diagnóstico rápido da doença é preciso ficar atento!

“Qualquer pessoa que tenha um histórico de exposição prolongada e contínua à exposição solar, ou histórico de queimaduras solares na juventude, ou história pessoal ou familiar de câncer de pele na família, deve ficar atento caso apareçam em áreas expostas ao sol qualquer alteração da pele – manchas vermelhas ou rosadas – que permaneçam por mais de três semanas” esclarece Correa.

Ainda segundo o oncologista, manchas escuras nestas áreas expostas ao Sol, que aumentam de coloração ou tamanho também devem ser examinadas por um dermatologista.

A doença
As pessoas de pele mais clara têm mais probabilidade de ter câncer de pele, crianças e negros raramente sofrem com a doença. Segundo Ronaldo Correa, esse tipo de câncer não é tão agressivo quanto os outros, e é pouco provável que se não for diagnosticado no início ela afete outros órgãos do corpo.

Os dois grandes tipos de câncer de pele são: o Melanoma, mais freqüente, e o não Melanoma, mais raro.

Depois do diagnóstico, a cirurgia é o tratamento mais indicado para a doença.

“Siga as nossas dicas para evitar dores de cabeça. Mas se você apresentar os sintomas
citados na matéria, não esite, procure um dermatologista urgente!”

COMENTÁRIOS:

Comentários

4 Respostas para “O câncer de pele pode acabar com o seu verão, previna-se!”

Comente

Deixe aqui sua opinião...