Nada como um chazinho para acalmar e esquentar o corpo antes de dormir. Na era dos chás verdes e brancos para acelerar o metabolismo, mapeamos outros sabores feitos à base de ervas medicinais, para mostrar seus benefícios e alertar quanto ao seu consumo excessivo.

Chamada de fitoterapia, o uso de medicamentos naturais para o tratamento de doenças e atenuação de efeitos colaterais atrai 80% da população segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). À primeira vista parece o método ideal, porém o uso incorreto dessas ervas, bem como o modo como são preparados e cultivadas, podem ter um efeito indesejável e causar riscos à saúde.

Segundo um informe da Anvisa, o diagnóstico de uma lesão causada pelo uso da medicina alternativa é muito difícil, pois somente 40% da população comunica ao seu médico quando utiliza alguma medicação fitoterápica. Isso ocorre, porque os efeitos das ervas são crônicos, não-específicos e podem demorar a se manifestarem. Por isso, preste atenção nas dicas abaixo e não esqueça que o acompanhamento médico e/ou farmacêutico é sempre aconselhável.

Como fazer?

• Para folhas e flores: a água fervente deve ser despejada sobre as plantas e o recipiente tampado por 10-15 minutos.
• Para raízes, cascas e sementes: cortadas ou esmagadas devem ser levadas ao fogo brando por 3-30 minutos. Em seqüência, o fogo deve ser desligado, espera-se um tempo de descanso para coar.
• Para ambas: especialmente para não serem alteradas as vitaminas e minerais pela fervura. Colocar a planta de molho em água fria por 12-18 horas (partes tenras) e 18-24 horas (partes duras). Depois aqueça tudo e coe.

Algumas ervas (indicações e restrições):

BABOSA (Aloe vera)
Indicações: Cicatrizante, no tratamento de queimaduras
Restrições: Gestantes, pessoas com problemas renais
Riscos: Problemas no fígado

ALECRIM (Rosmarinus officinalis)
Indicações: Diurético, antiinflamatório
Riscos: Alterações no sono, espasmos, irritação nervosa

BOLDO (Plectranthus barbatus)
Indicações: Tratamento do sistema digestivo
Riscos: Irritação na mucosa gástrica e problemas no fígado

CAMOMILA (Chamomilla recutita)
Indicações: Antiinflamatória, antiespasmódica
Riscos: Não há dados na literatura

ERVA-CIDREIRA (Cymbopogon citratus)
Indicações: Calmante, diurético
Restrições: Quem tem pressão baixa
Riscos: Sonolência, letargia

ERVA-DOCE (Foeniculum vulgare)
Indicações: Digestivo, antiespamódico, diurético
Riscos: Convulsões

ERVA-MATE (Ilex paraguariensis)
Indicações: Estimulante, diurética
Riscos: Há estudos que associam o uso excessivo ao câncer de esôfago

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Fitoterapia: o poder do chazinho”

Comente

Deixe aqui sua opinião...